PalavrAcolhida

Colhendo e acolhendo palavras

Olhando com a pele

Que eu não me olhe… Nem tão perto onde eu não possa me enxergar

Nem tão longe onde eu possa me perder

Nem tão dentro a ponto de me prender

Nem tão fora onde eu não possa protagonizar mais

Que eu me olhe com o tato…

Vento a gente não vê, mas sente

Sentir é movimento

Mas é também ressentimento

Pois jamais paramos de sentir

sentir, sentir, sentir

Se não é por tato então…

Que eu me olhe com o que eu sinto…

Porque os sentidos nos enganam

Mas os sentimentos não…

Que a distorção da realidade seja minha única verdade.

Eduarda Renaux

#PalavrAcolhida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 de setembro de 2019 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: