Quantos “lá foras” até virar gente grande, afinal?

Fora da barriga, fora do berço, fora de casa, fora de um relacionamento, de uma cidade, de uma crença, da realidade.

Quanto mais fora no mundo mais dentro de si mesmo. Todo mundo precisa dar uns passos para longe do espelho para poder se enxergar melhor de corpo inteiro. Assim também é para se enxergar melhor de dentro. E quanto mais para dentro você se olha mais para fora serás lançado.

Nesse mundão, qual é o mundinho milimetricamente construído que você pertence?

Não existe um “último fora”. A vida são iniciações. Quando você menos espera outro ciclo começa. Mas nada é tão fora ou tão longe que não possamos construir um abrigo próprio. O mundo é lindo mas é também hostil, saiba se proteger e também se defender. Então quando sair não esqueça de levar o casaco e fale sim com estranhos. O estranho é exatamente o que você precisa conhecer. “Vai! E se der medo, vá com medo mesmo.” Assim todos nós encaramos o primeiro dia de aula. E assim encararemos a vida, que é a mais profunda escola.

Eduarda Renaux

26.05.2019