PalavrAcolhida

Colhendo e acolhendo palavras

FalaDor

A dor fala

E como fala!

Tagarela inconveniente

Parasita sem sentimento

Uma anestesia vai bem..

Ela diz que eu amordaço sua expressão

E Eu acho que ela é só insatisfação

Difícil aguentar!

Passei a fingir que estava ouvindo para ver se ela calava

Pois a infeliz me questionava sobre o que ela tinha dito…

A briga era certa!

As vezes parava no hospital

E só o médico para mediar a relação

Acontece que a gente é a mesma fonte, estado e destino

Mas as vezes me divido

E a dor não vejo como parte de mim

Fico pensando que somos muito diferentes

Engano meu! Que audácia

Excluir eu mesma de mim

Quanto mais ela berra mais doente eu fico

Essa doença chamada separar o inseparável, dividir o indivisível, apagar a cena do crime, sair do palco da vida.

A dor é a mensageira de más notícias

De que existe cura

De que é possível Colar os cacos

Fazer mosaico e alquimia

Dor, não desiste de mim!

Fala que eu te escuto

Eduarda Renaux #palavracolhida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 de setembro de 2019 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: