Mãe,

Será que um dia terei o teu tamanho?

E se eu chegar lá, onde será meu abrigo nos dias de sol e de chuva? Quem sabe eu sonhe alto demais.

Mas para te ver eu ainda preciso olhar para cima, porque tu sabe ganhar o céu mesmo com os pés enraizados no chão. Isso me inspira a crescer.

Mãe,

Eu não quero ser concreta. Eu quero ser viva. Que eu não troque escolhas fluidas por uma segurança pavimentada. Que em mim vejam a verdade mesmo que dolorida. E não uma mentira anestesiada.

Abrir os olhos e olhar para cima para te ver foi a decisão mais viva da minha vida. No encontro das águas, no encontro de olhos, coração de mãe.

Eduarda Renaux

#Palavracolhida #coracaodemae