PalavrAcolhida

Colhendo e acolhendo palavras

O Vespeiro

Ando atenta às polêmicas. Ando atenta às opiniões estabelecidas, rígidas. Ando atenta às trocas de ofensas devido às diferenças. Ando atenta aos críticos e mensageiros do apocalipse. Mas ando calada, não quero mexer no vespeiro.

E por que não? Porque quem tem a crença estabelecida é surdo, é cego, mas não é mudo. É surdo porque só ouve as opiniões que fortalecem seu ponto de vista. É cego porque só enxerga os fatos que lhe dão razão. Mas não é mudo porque anuncia aos sete ventos seu discurso revolto, e não medirá palavras para destituir aquele que ousa pensar e então verbalizar o diferente.

silencio

De fato, há certos temas com os quais não se mexe. Argumentos até a exaustão e você é vencido pelo cansaço. Desculpe Senhor (a), era apenas uma opinião!

Me pego boquiaberta com aqueles que se sensibilizam com a morte, mas desejam que morram aqueles que não sentem o mesmo. Tem momentos em que seu sangue ferverá, você esboçará uma resposta. Mas em vespeiro não se mexe, apaga-se letra por letra.

Para falar, o outro tem que estar disposto a ouvir. Se não, salve-salve os monólogos!

Após apagar letra por letra, sigo letra após letra, esboçando um devaneio de quem escolheu não mexer no vespeiro e ainda assim sair da mudez.

Anúncios

9 comentários em “O Vespeiro

  1. Daniela Junkes
    28 de janeiro de 2013

    Nossa, e que excelente devaneio! Adorei e compartilho o sentimento.

    Curtir

  2. Marcelo Pereira Maffezzolli
    28 de janeiro de 2013

    GENIAL!!

    Curtir

  3. Maria Ester Pazolini Renaux
    29 de janeiro de 2013

    Muito sábia e sensível em seu devaneio compartilhado. É a mudez falante, dos tempos da surdez intencional. Bravo!

    Curtir

  4. Camila Felício
    30 de janeiro de 2013

    É a era digital e seu megafone. O que antes ficava restrito ao grupo de amigos, hoje é divulgado para o globo com capslock, hashtag e imagens fortes para compartilhamento.

    Talvez seja minha percepção, mas vejo que as pessoas sentem os canais digitais como uma fronteira livre onde não é necessário filtro para opinar. Como não precisamos dar a cara para bater pessoalmente, me parece que todos tomam coragem de dizer o que querem e como querem. Aí se acabam os argumentos, começam as ofensas.

    Viva a inclusão digital e sua liberdade!

    Curtir

    • Eduarda Renaux
      31 de janeiro de 2013

      Antes do digital, era na rua, em casa!
      Só ampliamos os espaços né Camila?
      Não culpo os canais digitais, mas estou de pleno acordo com você de que o anonimato faz com que as pessoas tomem a liberdade de achar que é sem lei!
      Gostei muito da tua colocação, sua participação é sempre muito bem vinda!!

      Viva a inclusão digital e sua liberdade, com moderação!!

      Muitos beijos

      Curtir

  5. Deison
    24 de novembro de 2013

    Muito bom Duda!
    Bjs saudosos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 28 de janeiro de 2013 por em Vivências cotidianas e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: